CALENDÁRIO

23 ABRIL

18h — Livraria Arquivo, Leiria.

 

“Os Filhos da Madrugada” com Joana Bértholo, escritora e Beatriz Gosta, humorista; moderação e autoria do programa da RTP3: Anabela Mota Ribeiro.

4 MAIO

15h — Sala Almada Negreiros, Centro Cultural de Belém, Lisboa.

 

Festival FeLiCidade. Conversa entre:

Joana Bértholo, escritora portuguesa (1982)

José Eduardo Agualusa, escritor angolano (1960)

Socorro Acioli, escritora brasileira (1975)

Mod. Pedro Santos Guerreiro

8 a 13 MAIO

Feira do Livro de Buenos Aires, Argentina.

 

Vários eventos na programação da Feira do livro de Buenos Aires.

21 MAIO

18h30 — Livraria Snob, Lisboa. 

 

Todas as terceiras terças do mês um(a) escritor(a) lê um conto seu e debate-o com o público. Nesta terça-feira Joana Bértholo lê “O Pulso da Terra” (inédito).

27 e 28 MAIO

Coimbra.

 

27: Ciclo mensal “Depósito Legal: Novos Livros, Novas Leituras” com a presença da autora. (público geral)

28: Laboratório de Escrita (para os alunos do Mestrado em Escrita Criativa).

*a anunciar

Feira do Livro de Lisboa.

 

Lançamento de «Augusta B — Ou as Jovens Instruídas 80 anos depois» (novela), Editorial Caminho.

9 JUNHO

18h30 — Editorial Caminho, Praça Leya — Feira do Livro de Lisboa.

 

Sessão de autógrafos do livro novo — e dos restantes. 

13 JUNHO

Vila Real

 

Vivos nas Livrarias é um projeto da Associação Palavrão, apoiado pelo dstgroup, com curadoria de Jacinto Lucas Pires Junta escritores e leitores em sessões de leituras públicas, nas livrarias independentes de todo o país. Os autores leem os seus contos, e depois há uma conversa conduzida por um convidado-leitor. Neste dia Joana Bértholo lê um conto seu. 

14 JUNHO

vários horários — Viseu.

 

A Cem Palcos promove a 3ª edição do Nove. A 14 de Junho estreia a criação de Joana Bértholo e Joana Pupo. 

16 JUNHO

18h30 — Editorial Caminho, Praça Leya — Feira do Livro de Lisboa.

 

Sessão de autógrafos do livro novo — e dos restantes. 

21 JUNHO

Centro Cultural Olga Cadaval, Sintra.

 

Festival de Música de Sintra: a ópera “Na Colónia Penal”, de Philip Glass, será seguida de uma mesa redonda subordinada ao tema “Cem anos depois de Kafka: Vivemos em Distopia?”, que reúne Irene Flunser Pimentel, Joana Bértholo, Martim Sousa Tavares e Rui Tavares, com moderação de Paulo Farinha.

21 JUNHO

Viseu.

 

ESTREIA *Paisagens Inúteis* de Vanda Rodrigues (Antípoda).

 

Até que ponto o quotidiano nos permite ver e ouvir uma paisagem? Teremos o tempo para abarcar a sua totalidade? Poderá um espectáculo recuperar esse espaço de contemplação e ócio?

Paisagens Inúteis é um espectáculo bilingue (Língua Portuguesa e Língua Gestual Portuguesa) que ousa considerar todas as capacidades como pretexto para aceder e dialogar com a paisagem. Almeja ser acessível e falha, orgulhoso da sua tentativa.

É um caminho real e metafórico na direção do horizonte. É uma odisseia: inútil e inutilista. Até lá, diversas são as paragens, ou serão paisagens?

13 JULHO

Portimão.

 

Cidades e Literatura.